História do GOB-SE

História do GOB-SE

Fundado 01 de Dezembro 1980

RETALHOS HISTÓRICOS

DA FUNDAÇÃO DO

GRANDE ORIENTE DO BRASIL - SERGIPE

 

1 – SONHO DE OBREIROS                                                                              

          A fundação do Grande Oriente do Estado de Sergipe - GOB-SE, foi um sonho acalentado por muitos Irmãos. Antes da fundação do GOESE, o Grande Oriente do Brasil era representado em Sergipe por um Delegado, nomeado pelo Grão-Mestre Geral. Quatro Eminentes Irmãos foram designados para exercerem o   elevado cargo de mandatário do Grande Oriente do Brasil, e, consequentemente, representantes legítimos, neste Estado, do Poder Executivo Central.

 

1º Delegado: ARIVALDO PRATA – 1951/1964;                              

2º Delegado: MARCOS FERREIRA DE JESUS – 1964/1983;      

3º Delegado: JOSÉ ÁLVARO DE CARVALHO; 1984/1988;

                 4º Delegado: JOSÉ AUGUSTO MACHADO – 1988/1989;

            5º Delegado: JOSÉ ALBERTO MUNIZ BARRETO – 1990/1992.

                   A semente que gerou a idealização do Grande Oriente do Estado de Sergipe, foi cultivada por obreiros do quadro da Respeitável Loja Cotinguiba e surgiu pelos idos do início da década de 1980. A história menciona com destaque os Irmãos ORIOL BARRETO DOS SANTOS, MARCOS FERREIRA DE JESUS, CARLOS TELES SATLER, JOSÉ AUGUSTO MACHADO e tantos outros que não são citados nos anais históricos.

                        MARCOS FERREIRA DE JESUS, era o indicado para exercer o cargo de primeiro Grão-Mestre do Grande Oriente do Estado de Sergipe. Faleceu, em 01/12/1983, no exercício de Delegado do GOB. A vacância foi preenchida, temporariamente, por ERONILDES JOSÉ DOS SANTOS, que exercia o cargo de Secretário Executivo da Delegacia do GOB para o Estado de Sergipe.

2 – MULTIPLICAÇÃO DAS LOJAS

             As Lojas Cotinguiba, Clodomir Silva e Piauhytinga, exerciam regularmente as atividades maçônicas no Oriente Sergipano. A Delegacia do GOB, por sua vez, estimulava a criação de novas Lojas e recebia apoio das que se encontravam em plena atividade maçônica. O esforço vingou. Em 1981, três novas Lojas surgiram no horizonte maçônico do nosso Estado. A ARLS José Alencar Cardoso nº 2130, foi fundada em 19/11/1981; A ARLS Lealdade Cotinguibense nº 2142, em 27/11/1981 e a ARLS Eleutério Luiz Bonfim nº 2141, em 17/11/1981. As duas primeiras foram derivadas da Loja Continguiba e a última da Loja Clodomir Silva.   A   expectativa embrionária da criação do Grande Oriente do Estado de Sergipe, começava a germinar, todavia, a quantidade de Lojas em atividade, ainda se apresentava insuficiente para que o objetivo sonhado se tornasse possível.

                            A Loja Marcos Ferreira de Jesus nº 2382, iniciou suas atividades em 27/08/1985, somando-se às existentes. Era mais um elo que se amoldava à formação da corrente idealizada pelas personagens ilustres da maçonaria sergipana.

                 Maçons procedentes da Loja Tiradentes nº 06, filiada à Grande Loja do Estado de Sergipe, fundaram, em 25/09/1980, uma nova Loja com a mesma denominação. Transpuseram as fronteiras do nosso Estado unindo-se aos Grandes Orientes Independentes dos Estados de Alagoas e de Pernambuco e, por fim, através da Delegacia do Grande Oriente do Brasil para o Estado de Sergipe, filiaram-se à nossa potência e foram regularizados em 27/06/1989 (data da Carta Constitutiva), com o título distintivo de ARLS Tiradentes nº 2530.

3 – A VISITA DO GRÃO-MESTRE GERAL

                        Em 1985, a Loja Cotinguiba, sob o comando do Venerável Mestre JOSÉ AUGUSTO MACHADO, recebe a visita do Soberano Grão-Mestre Geral JAIR ASSIS RIBEIRO, que se fez presente em nosso Oriente para participar das festividades de inauguração das reformas que foram executadas no prédio da centenária Loja. Acompanharam-no vários de seus Grandes Secretários Gerais, dentre eles, seu chefe de Gabinete, Eminente Irmão DAGOBERTO SÉRVULO DE OLIVEIRA e o Grande Secretário da Guarda dos Selos, Eminente Irmão JOÃO ROSÁRIO DÓRIA. Durante a solenidade festiva da inauguração, o Soberano Grão-Mestre, ao proferir suas palavras, assinalou, com ênfase, que a maçonaria sergipana ainda não apresentava estruturas para fundação de um Grande Oriente Estadual. Prometeu, no entanto, que iria compor uma comissão especial para estudo e provimento, no sentido de estruturar, adequadamente, a fundação do GOESE.

4 – JOSÉ AUGUSTO MACHADO – DELEGADO DO GRÃO-MESTRE GERAL

                     O Irmão JOSÉ AUGUSTO MACHADO, foi nomeado, em 1988, pelo Soberano Grão-Mestre Geral, JAIR ASSIS RIBEIRO, para o honroso cargo de Delegado do Grande Oriente do Brasil para o Estado de Sergipe.

A luta pela fundação do GOESE continuava fortalecida pelos seus idealizadores. JOSÉ AUGUSTO MACHADO, agora como Delegado do GOB, assenta os alicerces da fundação do GOESE. O principal obstáculo enfrentado era o número de Lojas regulares que a Constituição Federal exigia para a formação de um Grande Oriente Estadual. Era evidente que a criação de novas Lojas se oferecia como a solução mais robusta, transformando-se, assim, na luz que tremulava no final do túnel e que alicerçava a possibilidade de concretização da criação do Grande Oriente Estadual.

A concentração de esforços produziu resultados. Mais uma Loja despontava no cenário do nosso Oriente. Em Itabaiana, a Loja José Mesquita da Silveira nº 2548, inicia seus trabalhos em 14/07/1989. Contava-se, agora, com nove oficinas maçônicas funcionando regularmente e em pleno vigor, ainda assim, nem todas as Lojas apoiavam o nobre projeto do Delegado do Grande Oriente para o Estado de Sergipe.

5 – NOVA CONSTITUIÇÃO FEDERAL MAÇÔNICA

                            Outubro de 1989. Tramita na Soberana Assembleia Federal Legislativa o Projeto de Lei que instituía uma nova Constituição Federal. Sabia-se que o texto da nova Carta Magna era desfavorável à criação do Grande Oriente do Estado de Sergipe. À fundação de um Grande Oriente Estadual exigir-se-ia a existência de 13 Lojas regulares e em atividade.

                            O tempo urge. Não se permite adiamento das aspirações dos maçons de Sergipe. O Delegado do Grande Oriente do Brasil é estimulado pelas Lojas Piauhytinga, Marcos Ferreira de Jesus e Eleutério Luiz Bonfim a conduzir o ideal perseguido pelos membros da maçonaria sergipana.

6 – CONSULTA ÁS LOJAS

                            Determina a Delegacia do Grão-Mestrado que na primeira quinzena de novembro de 1989, as Lojas, em sessão especial, submetam à apreciação de seus obreiros a concordância da fundação do Grande Oriente Estadual. As Lojas Cotinguiba, Lealdade Cotinguibense e José Alencar Cardoso manifestaram-se contrárias à formação do Grande Oriente do Estado de Sergipe.

                        O Delegado do Grão-Mestrado decide convocar os representantes das Lojas deste Oriente, para, em 25/11/1989, se fazerem presentes a uma nova Sessão Especial, com a finalidade, exclusiva, de oficializarem o resultado das assembleias de suas oficinas. Participaram sete das nove Lojas em atividade. Seis declararam-se favoráveis (Piauhytinga, Marcos Ferreira de Jesus, Eleutério Luiz Bonfim, Tiradentes, Clodomir Silva e José Mesquita da Silveira). A Loja José Alencar Cardoso pronunciou-se contrária à consulta. Não compareceram à Sessão Especial as Lojas Cotinguiba e Lealdade Cotinguibense. Em 27/11/1989 é oficializado ao Poder Central o requerimento solicitando a criação do Grande Oriente do Estado de Sergipe.  Etapa vencida. Sacramenta-se, com sacrifício, a oficialização dos anseios dos Maçons do modesto Estado de Sergipe.

7 – CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO GOESE                                                  

                            O Soberano Grão-Mestre Geral, JAIR ASSIS RIBEIRO, retorna à Aracaju em 01/12/1989. Organiza-se uma grande recepção à autoridade maior da federação maçônica do Brasil. O auditório do SENAI foi o palco reservado para a importante e histórica reunião maçônica que os obreiros deste Estado iriam ouvir e participar. Discursaram as autoridades locais em favor da criação do Grande Oriente Estadual. Era o momento de se ouvir o Soberano Grão-Mestre Geral. A composição de suas palavras foi uma exposição de motivos, e, ao finalizar sua alocução, apresentou o documento que tornava oficial a fundação do Grande Oriente do Estado de Sergipe. Assina, naquele momento, na presença de todos o Decreto nº 147, de 01/12/1989. Tornava-se real a aspiração daqueles que lutaram, imaginaram e pleitearam pela realidade do Grande Oriente do Estado de Sergipe.

                            A organização do GOESE seria outra etapa para ser vencida. JOSÉ AUGUSTO MACHADO foi eleito Grão-Mestre Estadual. Utilizava uma sala, situada no 2º andar do prédio da ARLS Clodomir Silva nº 1477, como base de seus despachos. Em lugar do agora eleito Grão-Mestre Estadual, foi nomeado o Irmão JOSÉ ALBERTO MUNIZ BARRETO, para preencher a vacância do cargo de Delegado do GOB para o Oriente de Sergipe.

8 – POSSE E INSTALAÇÃO DO GOESE

                        Em 13 de novembro de 1992, no Templo da ARLS Clodomir Silva nº 1477, realizou-se a Sessão Solene para posse e instalação definitiva do Grande Oriente do Estado de Sergipe-GOESE. Estiveram presentes à solenidade, diversas autoridades maçônicas de outros Estados da Federação, Sereníssimos Grão-Mestres das Grandes Lojas, Ministros do Superior Tribunal Eleitoral Maçônico e o Soberano Grão-Mestre Geral Irmão JAIR ASSIS RIBEIRO, que foi introduzido no Templo sob incessante salva de palmas e recebido no Oriente pelo Delegado do GOB no Estado de Sergipe, Irmão JOSÉ ALBERTO MUNIZ BARRETO, que passou os trabalhos da Sessão ao Soberano Grão-Mestre Geral. Ato contínuo, foi autorizado, pelo Soberano, o ingresso do Pavilhão Nacional. Usaram da palavra o Delegado do GOB, Irmão JOSÉ ALBERTO MUNIZ BARRETO e o Grão-Mestre Geral, Irmão JAIR ASSIS RIBEIRO. O Presidente do Superior Tribunal Eleitoral Maçônico, Eminente Irmão DAGOBERTO SÉRVULO DE OLIVEIRA, procedeu a leitura e entrega, individualmente, dos Atos de Diplomação e posse aos Deputados Estaduais eleitos. Em seguida foi eleita a primeira Mesa Diretora da Assembleia Estadual Legislativa, que ficou assim constituída: Presidente – Telmo Sizino Machado Tojal; 1º Vice-Presidente – Nivaldo Elias Barbosa; 2º Vice-Presidente – Pedro Ferreira Soares; Orador – Emanoel Messias Barbosa; Secretário – Pedro de Morais; Tesoureiro – Francisco Teles de Sá; Chanceler – José Edgar de Andrade; Mestre de Cerimônias – Manoel Raimundo Aquino de Andrade. Por último, e em continuidade à cerimônia foi efetivada a leitura e a entrega dos Atos de Diplomação dos Irmãos JOSÉ AUGUSTO MACHADO e JOSÉ RENATO MOREIRA MELO, Grão-Mestre Estadual e Grão-Mestre Estadual Adjunto, respectivamente. A solenidade no Templo da ARLS Clodomir Silva foi encerrada ritualisticamente, e, teve continuidade no auditório do Centro de Convenções Ministro José Hugo Castelo Branco, localizado no D.I.A. A nova mesa de trabalhos foi constituída pelas autoridades maçônicas e pelo Governador do Estado de Sergipe, em exercício, Dr. José Carlos Mesquita Teixeira e pelo Deputado Estadual, Dr. Ivan dos Santos Leite, representando a Assembleia Estadual Legislativa. Foi dada a entrada do Pavilhão Nacional e o Hino Pátrio foi executado pela Banda da Polícia Militar. Nessa oportunidade, o Grão-Mestre Estadual e o Grão-Mestre Estadual Adjunto, diante do Presidente da Poderosa Assembleia Estadual Legislativa, Eminente Irmão Telmo Sizino Machado Tojal, dos Veneráveis Deputados e de todos os presentes, prestaram, solenemente, o compromisso de posse previsto nos normativos maçônicos. Após os discursos proferidos pelo Governador do Estado, em exercício e das autoridades maçônicas, foi efetuada a retirada do Pavilhão Nacional e a Sessão foi encerrada.

                             A primeira diretoria foi composta com a seguinte configuração: Grão-Mestre Estadual: José Augusto Machado; Grão-Mestre Estadual Adjunto: José Renato Moreira Melo; Grande Secretário de Administração: Deógenes Batalha de Andrade; Grande Secretário da Guarda de Selos: José Lauro de Oliveira Filho; Grande Secretário de Finanças: Roberto Ferreira de Barros; Assessor Jurídico: Manoel Menezes Cruz e Assessor Especial: Raimundo Vieira de Andrade.

                            A instalação do Grande Oriente do Estado de Sergipe, as posses do Eminente Grão-Mestre Estadual, do Poderoso Grão-Mestre Estadual Adjunto e dos Veneráveis Deputados, solidificaram os alicerces que foram idealizados por valorosos e incansáveis Irmãos que sonharam e pelejaram pelo engrandecimento da Maçonaria sergipana. A semente plantada no distante ano de 1980, germinou, cresceu e produziu frutos. Fundado e instalado como Grande Oriente do Estado de Sergipe-GOESE é reconhecido, atualmente, com a denominação de Grande Oriente do Brasil – Sergipe, realidade justa e perfeita. .

                                                                       F I M

Wellington Vieira – M M – fevereiro de 2017.

 

Bibliografia consultada: Boletins e arquivos do GOB-SE.